Tarte de Ruibarbo, Limão e Alecrim


Depois da tempestade vem a bonança. Parece que finalmente a chuva deu tréguas e voltaram os dias de luz. Por mim está perfeito e as temperaturas podem manter-se assim por alguns dias. Sem dúvida que estes dias nos deixam mais bem dispostos, com mais energia e vontade de fazer coisas novas. Afinal de contas já estamos na Primavera e já era tempo de aparecerem os dias longos de céu azul e com o sol a brilhar. 

Mas se a Primavera tem estado tímida no que respeita ao tempo, o mesmo não se pode dizer em relação aos produtos típicos desta estação que chegam cá a casa. É tempo de morangos e estes já vão tendo presença assídua nas refeições cá de casa. Gosto de os comer ao natural, mas também em saladas e claro, nas sobremesas. E chegam também as primeiras ervilhas da estação, as courgettes, os espargos e os espinafres. Simplesmente adoro toda a mistura de cores e sabores que a Primavera nos oferece! E é tempo de ruibarbo, finalmente! Gosto imenso deste vegetal e sempre que o vejo à venda não perco a oportunidade de trazer uns quantos caules comigo. Por cá ainda não é muito conhecido, mas nos países nórdicos é bastante usado e apreciado. No início de Março viajei até à Suíça e por acaso encontrei ruibarbo à venda. Não resisti a comprar e trouxe comigo uma pequena quantidade. Há quem compre roupa ou sapatos, eu fico feliz com estes ingredientes raros de encontrar por cá. Não resisto a experimentar receitas novas com este ingrediente que tanto aprecio.


Esta tarte de ruibarbo, é uma receita da Aimee. Não é segredo para ninguém o quanto eu gosto das receitas dela. São receitas simples e que funcionam sempre. Para além de ser uma miúda super simpática e uma cozinheira super talentosa, ainda faz fotografias lindas que me inspiram e me deixam com vontade de experimentar todas as receitas. Ela publicou a receita da tarte precisamente na mesma altura em que eu havia comprado o ruibarbo, mesmo sem eu saber ainda o que iria fazer com ele. Claro que não resisti a esta tarte linda que é do mais simples que há e cuja combinação de sabores é uma coisa maravilhosa que não deixa ninguém indiferente. O sabor cítrico do limão combinado com a acidez adocicada do ruibarbo, as notas de baunilha e o perfume do alecrim, tudo junto e envolvido por uma massa amanteigada e crocante de bradar aos céus, leva-nos a querer repetir cada fatia. 


Tarte de Ruibarbo, Limão e Alecrim
(receita adaptada do blog Twigg Studios)

Ingredientes:
{para a massa}
| 200 g de farinha de trigo s/ fermento
| 110 g de manteiga fria
| 3 c. (sopa) de açúcar mascavado
| 2-3 c. (sopa) de sumo de limão
| raspa da casca de 1 limão
| 1 pitada de sal

{para o recheio}
| 5 c. (sopa) de Lemon Curd (usei esta receita)
| 5 c. (sopa) de amêndoa moída
| 2-3 caules de ruibarbo
| 4 c. (sopa) de açúcar mascavado
| raspa da casca de 1 limão
| 1 c. (chá) de alecrim picado
| 1 vagem de baunilha
| 1 ovo 
| amêndoas laminadas q.b.

Preparação:
1 . Colocar a farinha e a manteiga em pedaços numa taça ou num processador e misturar (se misturar à mão use a ponta dos dedos até obter uma mistura areada). Junte o açúcar, o sal, a raspa de limão e misture novamente. Aos poucos vá juntando o sumo de limão, uma colher de cada vez, até a massa ficar moldável e despegar das paredes do copo ou taça. Forme uma bola e deixe a massa descansar por 20 minutos.

2 . Pré-aqueça o forno a 180ºC. Forre com papel vegetal um tabuleiro de forno e reserve.

3 . Numa superfície enfarinhada estenda a massa com o rolo, formado um rectângulo. Sobre a massa espalhe o Lemon Curd, deixando cerca de 3 cm de massa livre em todo o rebordo. Distribua a amêndoa moída sobre o Lemon Curd.

4 . Corte os talos de ruibarbo em pedaços com cerca de 6 cm e disponha o ruibarbo na tarte formando um padrão a gosto. Salpique com o açúcar mascavado, a raspa de limão e o alecrim picado. Abra a vagem de baunilha e com uma faca raspe as sementes, polvilhando a tarte com elas.

5 . Dobre as extremidades da massa para dentro formando uma "parede". Pincele com ovo batido e distribua algumas amêndoas laminadas.

6 . Leve ao forno cerca de 35-40 minutos. Sirva ainda morna, acompanhada de uma bola de gelado de baunilha ou natas batidas.

Bundt Salgado de Tomate Seco e Queijo de Ovelha


Bem sei que todos ansiamos pelos lindos dias de primavera que teimam em não chegar. Que todos estamos fartos da chuva e de rogar pragas ao mau tempo. Não está a ser de todo um inicio de estação bem sucedido. Eu sou uma pessoa de primaveras. Nasci nesta estação e é dela que eu gosto. O tempo cinzento deixa-me meio nostálgico e deprimido. Por aqui já só consigo pensar nos dias de sol, nas temperaturas amenas e nos passeios de pé descalço à beira mar. Em arrumar as botas, os casacos e as camisolas no guarda-roupa e começar a vestir roupas mais leves e frescas. Já só penso em petiscos e nos jantares de amigos na varanda, com conversas intermináveis que duram noite dentro. As estações já não são as mesmas e confundem-se entre elas. Mas o bom tempo há-de chegar. Os dias longos e alegres que convidam a sair de casa hão-de vir. Enquanto não chegam, vou ligando o forno e desta forma trago algum conforto à casa nestes dias mais frios.


A sonhar com dias de sol, passados em família ou com os amigos fora de casa, longos passeios e caminhadas e os deliciosos piqueniques. Quem não gosta de saborear uma boa refeição em contacto com a natureza, sentir o ar livre, ouvir os pássaros a cantar, sentir o cheiro da terra?! Eu gosto e foi a pensar nestes momentos que criei este bolo salgado que é perfeito para partilhar e levar a um piquenique. Gosto de bolos salgados, faço algumas vezes este que é bastante apreciado. Mas este também é muito elogiado e já repeti tantas vezes o bolo salgado de feta, tâmaras e pistachios. Perfeitos para servir de entrada ou como refeição principal a acompanhar uma salada. Este que trago hoje, de tomate seco e queijo de ovelha, foi enriquecido com courgette e azeite virgem, ingredientes que lhe conferem uma textura e sabor únicos. Mas o que o torna mesmo especial é o Queijo Fresco de Ovelha da Tété. Este queijo é preparado com leites seleccionados de ovelha que lhe conferem um aroma mais intenso e característico, mas muito apreciado por todos. Para ficarem a conhecer melhor os produtos produzidos pela marca Tété é melhor visitarem o site, aqui ou seguirem as páginas da marca no Facebook e Instagram


Bolo Salgado de Tomate Seco e Queijo de Ovelha

Ingredientes:
| 500 g de farinha de trigo s/ fermento
| 1 1/2 c. (chá) de fermento em pó
| 1 c. (chá) de sal
| 5 ovos L
| 180 ml de azeite virgem                
| 1 courgette pequena          
| 2 iogurtes naturais
| 100 g de tomate seco em azeite
| 1 pitada de pimenta preta
| 1 c. (sopa) de Ervas de Provence (ou alecrim)
| 1 c. (sopa) de cebolinho fresco picado
| 1 queijo fresco (usei de Ovelha da Tété)

Preparação:
1 . Pré-aqueça o forno a 180ºC. Pulverize com spray anti-aderente uma forma de bundt ou, caso use uma forma convencional, unte com manteiga e polvilhe com farinha.

2 . Peneire a a farinha juntamente com o fermento e o sal e reserve.

3 . Numa taça coloque os ovos e o azeite e bata durante alguns minutos (eu usei o azeite de conserva dos tomates secos e adicionei mais azeite até perfazer os 180 ml).

4 . Junte a courgette ralada grosseiramente e bata mais um pouco.

5 . Adicione alternadamente a mistura de farinha e o iogurte natural, enquanto envolve com uma espátula após cada adição.

6 . Junte o tomate seco cortado em pedaços pequenos, a pimenta, as ervas, o cebolinho e o queijo fresco, também em pedaços. Envolva delicadamente com uma espátula.

7 . Verta a massa para a forma reservada e leve ao forno durante cerca de 40-45 minutos. Faça o teste do palito antes de retirar o bolo do forno.

8 . Retire o bolo e deixe arrefecer na forma durante 10 minutos. Desenforme e sirva ainda morno ou frio.

Guardar
Guardar

Caldo de Legumes Caseiro - Como Fazer?!


Uma das formas de equilibrarmos o orçamento familiar é fazermos alguns produtos em casa ao invés de os comprar no supermercado. Aos poucos sentimos a diferença, tanto na carteira como na saúde. As refeições, por mais simples que sejam, são sempre feitas em casa. Evito ao máximo comprar refeições já preparadas ou à base de produtos processados. Nada sabe melhor que uma refeição preparada por nós, com ingredientes genuínos e de qualidade. Sim, nem sempre o tempo disponível nos permite passar horas na cozinha e uma refeição processada de vez em quando também não faz mal nenhum. Desde que seja uma excepção e não uma regra. Mas a verdade é que nada se compara ao sabor de um pão feito em casa, amassado com amor e preparado com carinho. As bolachas, ou têm demasiado açúcar ou demasiada gordura. Em casa podemos sempre escolher a receita que mais nos agrada e ajustar as quantidades de açúcar ou gordura ao nosso gosto. Para além de que podemos optar por escolher farinhas mais saudáveis. As sobremesas, os iogurtes, as barras energéticas, os sumos, os molhos para temperar as carnes e o peixe, tudo tem mais sabor e sabe melhor quando é preparado em casa.


O mesmo se aplica aos caldos, quer sejam de legumes, de carne ou galinha. Cá em casa costumo fazer imensas vezes caldo de legumes. São uma base essencial para preparar sopas, risottos, estufados ou guisados. Nos meus workshops faço sempre questão de aconselhar as pessoas a fazer o mesmo e acabam sempre por me pedir a receita. A verdade é que não existe uma receita em concreto. É mesmo uma questão de usarmos os legumes que temos à mão ou que mais gostamos. O resto é a intuição que faz. Podemos adicionar mais ou menos sal, temperar com ervas aromáticas e aromatizar com especiarias ao nosso gosto. Desta forma evitamos os caldos que se vendem no supermercado, aqueles "cubinhos mágicos" cuja composição muitas vezes desconhecemos. É também uma forma de aproveitarmos as sobras de legumes que não usamos e que muitas vezes vão parar ao lixo.

Como referi, podem usar os legumes e as ervas que mais gostarem. Esta é apenas uma sugestão que preparei em colaboração com o site Alegro, para acompanhar o artigo mensal "Caldo de Legumes Caseiro - Como Fazer?", que podem ler na íntegra aqui. Neste artigo irão ficar a conhecer todas as vantagens de prepararem o vosso caldo de legumes caseiro e com ele pouparem no orçamento e amplificarem o sabor das vossas receitas.


(artigo mensal escrito em colaboração com o site Alegro)

Caldo de Legumes Caseiro - Como Fazer?!

Quantas vezes já nos questionámos acerca da composição daqueles "cubinhos mágicos concentrados" que são vendidos nos supermercados?! Fazer um caldo de legumes caseiro é uma das formas mais fáceis de amplificar o sabor das nossas receitas, economizar dinheiro e usar os legumes que sobram, antes de irem parar ao lixo. É fácil e tão simples, basta cortar alguns legumes, cobrir com água, cozinhar e está feito. Temos caldo de legumes suficiente para acrescentar aos nossos cozinhados e tudo em pouco menos de duas horas. Sem corantes, sem conservantes, sem excesso de gordura e de sal e sem intensificadores de sabor.

Se abrir agora o seu frigorífico e olhar para as gavetas dos legumes, o que vai encontrar?! Umas cenouras envelhecidas que há muito deveriam ter sido usadas?! Um ramo de salsa cujas folhas começam a ficar amareladas?! Uns cogumelos que começam a perder a forma?! Junte tudo numa panela, acrescente uma cebola e um alho francês, adicione ervas aromáticas e leve a cozer em água abundante. Esta é a base para um caldo de legumes caseiro delicioso!

Como fazer um caldo de legumes? Comece por escolher os melhores vegetais.

Dê preferência a legumes de sabor neutro. Algumas receitas aconselham o uso de especiarias fortes. Mas, tal como o sal, e a não ser que o caldo de legumes seja para um prato específico, o uso de sabores intensos deverá ser evitado. Cenouras, cebolas, aipo, alho francês, cogumelos, são os legumes base a usar num caldo, mas sinta-se livre para omitir ou substituir qualquer um deles por outro da sua preferência. Mas nem todos os legumes deverão ser usados num caldo caseiro (...) 

(leiam o artigo completo aqui)


Como Fazer: Caldo de Legumes Caseiro

Ingredientes:
| 2 litros de água
| 1 cebola
| 3 dentes de alho
| 2 cenouras
| 6 cogumelos
| 2 talos de aipo com folhas
| 1 alho francês
| 10 grãos de pimenta da Jamaica      
| 2 folhas de louro
| 1 c. (sopa) de sal
| 2 raminhos de coentros
| 1 raminho de tomilho
| 1 raminho de alecrim
| 2 c. (sopa) de azeite

Preparação:
1 .  Comece por lavar muito bem todos os ingredientes.

2 . Numa panela coloque a água. Junte a cebola inteira, os dentes de alho, as cenouras, os cogumelos, o aipo e o alho francês, cortados em pedaços.

3 . Quando a água começar a ferver acrescente os grãos de pimenta, o louro, o sal, as ervas aromáticas e regue com o azeite.

4 . Baixe o lume e deixe cozinhar durante 1h a 1h30 (quanto mais tempo mantiver o caldo ao lume maior será a sua intensidade em termos de sabor).

5 . Coe o seu caldo de legumes caseiro e guarde em frascos herméticos no frigorífico ou congele.

Guardar
Guardar