Sopa de Abóbora Assada e Especiarias


Quando se fala em comida de conforto o meu cérebro remete-me imediatamente para uma taça de sopa ainda a fumegar. Nada se compara ao prazer de segurar entre as mãos, num dia frio de Inverno, uma tacinha quente cheia de ingredientes do bem. É puro conforto para o estômago e para a alma. Os dias que agora são mais longos, frios e cinzentos, pedem estes pequenos e revigorantes boosts de energia que nos fazem sentir tão bem. Cá em casa existem sempre sopas, independentemente da estação do ano, mas é nesta altura que elas me sabem melhor. Remetem-me sempre para memórias longínquas, em casa dos meus pais onde, logo pela manhã, se acendia o lume e preparava a panela de ferro. Nela eram colocados os melhores e mais frescos ingredientes vindos directamente da nossa horta. Os feijões que  ficaram a secar durante o Verão, que eram guardados em sacos de pano e agora eram demolhados. As abóboras do Outono que eram preservadas para consumir mais tarde. Os nabos e as couves acabadas de colher. Tudo era preparado e colocado, aos poucos, na panela. Sem pressas, para que os ingredientes ficassem perfeitamente apurados. E que bem que sabiam aquelas sopas!


Hoje continuo a gostar de sopas. Faço mesmo questão de as ter presentes na minha alimentação diária, o que acaba também por ser uma forma de ingerir mais legumes. Gosto de experimentar receitas novas, mas sou muito fiel às receitas que gosto e que acabo por repetir imensas vezes. Como é o caso desta sopa de abóbora e especiarias, cuja combinação nos deixa completamente saciados e felizes. Levei esta sopa a um dos meus Workshops e o feedback foi tão positivo que decidi, finalmente, partilhá-la aqui no blog. A ela juntei o artigo mensal que escrevi em colaboração com o site Alegro e no qual falo das boas razões para saborear uma deliciosa sopa. Podem ler o artigo completo aqui, enquanto saboreiam uma tacinha de sopa de abóbora assada e especiarias.


(artigo mensal escrito em colaboração com o site Alegro)

Chegou a estação das sopas!

Estamos praticamente a chegar à estação mais fria do ano. As temperaturas, agora mais baixas, já se fazem sentir. Nesta altura damos preferência a pratos mais quentes e reconfortantes como os caldos e as sopas. A sopa é uma óptima opção de refeição durante o Inverno. Tanto pode ser servida como entrada ou prato principal e a sua preparação tanto pode incluir os ingredientes mais comuns, como os legumes variados e a carne ou podemos sofisticar um pouco, usando o peixe ou o marisco.

As sopas remetem-nos para memórias longínquas. Através dos ingredientes e métodos de confecção levam-nos a viajar por culturas, histórias e tradições de todos os lugares do mundo. Cada país tem as suas receitas mais tradicionais e nós por cá não somos excepção. Desde um simples creme de legumes, os típicos caldo verde e canja de galinha, a sopa de cozido à portuguesa, a de cação ou a sopa da pedra e, claro, sem esquecer a sopa de peixe em todas as suas variantes. Podemos até afirmar que as sopas são um património cultural.

Com um aroma e sabor deliciosos, as sopas estão repletas de nutrientes. Quando cozinhamos legumes e vegetais, a maior parte dos nutrientes fica retida na água. O que significa que as sopas são ricas em vitaminas e sais minerais. Não há nada melhor do que saborear uma sopa bem quentinha (...)


(leiam o artigo completo aqui)


Sopa de Abóbora Assada e Especiarias

Ingredientes:
| 750 g de abóbora Butternut
| azeite
| 1 cebola
| 2 cenouras
| 2 dentes de alho
| 1 c. (sopa) de Ras Hel Hanout (mistura de especiarias)   
| 1 pimento Chilli (opcional)
| 1 lt de caldo de legumes
| 400 g de grão-de-bico cozido
| sementes de abóbora
croutons de pão

Preparação: 
1 . Pré-aquecer o forno a 190ºC.
Colocar a abóbora em pedaços e com a casca num tabuleiro e regar com um fio de azeite. Levar ao forno durante 30-35 minutos.

2 . Cortar a cebola em meias luas e a cenoura em pedaços e levar ao lume num tacho com um fio de azeite. Cozinhar durante 5 minutos.

3 . Adicionar o alho picado, o Ras Hel Hanout, metade do pimento Chilli e o caldo de legumes. Deixar que levante fervura, tapar o tacho e deixar cozinhar durante 10 minutos.

4 . Retirar a polpa da abóbora, descartando a casca. Colocar a abóbora no tacho juntamente com o grão-de-bico e deixar cozinhar mais 10 minutos.

5 . Triturar a sopa num processador ou com a varinha mágica até ficar bem cremosa. Juntar o restante pimento Chilli picado (opcional).

6 . Distribuir por taças e finalizar com um fio de azeite, sementes de abóbora e croutons de pão.

Guardar

Lamington Cake


Ano novo, vida nova. Quantas vezes já ouvimos ou dissemos esta expressão?! Sempre que chegamos ao mês de Janeiro queremos mudar umas quantas coisas nas nossas vidas. Este é um mês de mudanças, de novas rotinas, um mês de renovação em que são traçadas novas metas e lançados novos objectivos. É um mês de resoluções em que prometemos a nós mesmos que iremos fazer e mudar umas quantas coisas. Mas o tempo, esse não pára, os dias continuam a avançar no calendário. E a dieta que prometemos fazer, após termos comido de forma exagerada durante as festividades, já não começa no início de Janeiro, porque afinal há sobras para comer. Talvez lá para o Carnaval. Ou então não, porque afinal até gostamos mesmo de comer. Prometemos ir ao ginásio e lá nos arrastamos em passo de caracol ao mesmo tempo que descobrimos que temos novos músculos. No dia seguinte já não vamos porque as dores se tornaram insuportáveis. Até ao dia em que acabamos por desistir. E assim, à medida que os meses avançam, lá se vão desfazendo todas as resoluções que prometemos a nós próprios que iríamos cumprir minuciosamente. 

Isto tudo para dizer que este ano não fiz qualquer tipo de resolução. E já não é o primeiro ano que o faço. Não gosto de resoluções. O meu lema é viver um dia de cada vez e lutar todos os dias por ser feliz. É isso mesmo, dar mais importância às pequenas coisas do dia-a-dia, rodear-me de quem me quer bem e fazer coisas que me façam sentir feliz. E agradecer. Sempre. Agradecer pelas boas oportunidades que vão surgindo, pelas pessoas boas que a vida se encarrega de meter no meu camino, agradecer por cada dia em que acordo e luto por ser feliz.


Se há coisa que me deixa mesmo feliz é poder ligar o forno de vez em quando e fazer um bolo. Gosto de fazer bolos, adoro o cheiro de um bolo acabado de fazer. Por isso este ano quero fazer muitos bolos, e assim contribuir ainda mais para a minha felicidade. Quero partilhar e experimentar mais receitas novas. Daí que o primeiro post do ano seja um bolo. Mas não um bolo qualquer. Este é o Lamington Cake, que faço com muito gosto para participar no 2º aniversário do desafio mensal, o Sweet World, lançado pelas queridas Lia e Susana.

Os Lamingtons são de origem australiana e apresentam-se normalmente em forma de quadrados de bolo, que são mergulhados em chocolate e cobertos com coco. Já os vi imensas vezes a passearem-se pela blogosfera e confesso que tinha vontade de os fazer. Mas por serem tão simples e nada fotogénicos a receita foi sendo adiada. Até ao dia em que a Lia lançou o desafio e ela própria fez um Lamington Cake. Fiquei convencido e soube nesse preciso momento que era desta que iria colocar a receita em prática. Não fiz os quadrados, optei antes por esta receita que segue praticamente à risca os sabores originais, mas em forma de bolo. Gostei muito do resultado, fiquei mesmo convencido com os sabores e para que não ficasse um bolo de chocolate simples coberto com coco, decidi decorá-lo com creme de Mascarpone dando-lhe um ar mais vintage.


Lamington Cake
(receita adaptada do blog La Repostería de Miguel)

Ingredientes:
{para o bolo}
| 280 g de farinha
| 2 c. (chá) de fermento em pó
| 1 pitada de sal
| 120 g de manteiga
| 200 g de açúcar amarelo
| 3 ovos
| 1 c (chá) de extracto de baunilha
| 40 g de coco ralado
| 300 ml de leite

{para o recheio}
| 150 g de queijo Mascarpone
| 1 c. (sopa) de açúcar amarelo
| 60 ml de natas com 35% MG
| 200 g de compota de framboesa

{para a cobertura}
| 180 g de chocolate negro
| 100 ml de Natas com 35% MG
| coco ralado

Preparação:
1 . Ligue o gorno a 170ºC. Unte com manteiga e forre com papel vegetal uma forma de aro amovível com 20 cm de diâmetro.

2 . Numa taça misture a farinha peneirada, com o fermento e o sal e reserve.

3 . Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Adicione depois os ovos, um de cada vez, e bata bem entre cada adição. Junte o extracto de baunilha e o coco ralado e bata até todos os ingredientes estarem bem ligados.

4 . Adicione os ingredientes secos e o leite ao preparado anterior. Comece por juntar metade da farinha, depois o leite e por fim a restante farinha. Entre cada adição envolva delicadamente com uma espátula, mas sem bater demasiado.

5 . Verta a massa na forma e leve ao forno a 170ºC durante 45-50 minutos. Faça o teste do palito antes de remover o bolo do forno.

6 . Retire o bolo do forno e deixe arrefecer na forma durante 10 minutos. Passado esse tempo, desenforme e deixe arrefecer completamente sobre uma grelha.

7 . Corte o bolo na longitudinal por forma a ficar com duas camadas iguais.

8 . Corte o chocolate em pedaços pequenos e coloque numa taça de vidro. Leve as natas a lume médio até que comecem a ferver e de seguida verta-as sobre o chocolate picado. Deixe repousar durante 1 minuto e depois mexa energicamente até que o chocolate se funda e assim obtenha uma ganache brilhante.

9 . Cubra uma das metades do bolo (a que irá ficar por cima) com o chocolate derretido. A outra metade (a que ficará em baixo) barre apenas na lateral. Polvilhe com o coco ralado toda a superfície de bolo que tenha o chocolate derretido.

10 . Bata o queijo Mascarpone e junte o açúcar. Adicione as natas e bata alguns minutos até obter a consistência desejada. Coloque este preparado num saco de pasteleiro e reserve.

11 . Num prato de servir coloque a primeira camada de bolo. Faça um anel de creme de Mascarpone em toda a volta. No meio espalhe a compota de framboesa e alise com uma colher.

12 . Coloque a segunda camada de bolo e de seguida decore a gosto com mais creme de Mascarpone, em toda a volta, entre as camadas.

GuardarGuardar
Guardar